transplante

Transplante Capilar

Envelhecimento, hereditariedade e uma sensibilidade maior à testosterona (em homens) são alguns dos fatores mais comuns que levam à calvície. Ao contrário do que ocorria no passado, as modernas técnicas de transplante capilar conferem um aspecto natural ao paciente pois as unidades foliculares são implantadas por inteiro (com músculos e glândulas) e os cabelos voltam a crescer normalmente algum tempo após o procedimento.

O procedimento consiste em retirar o cabelo da parte de trás da cabeça (região occiptal) e transferi-los para as áreas de calvície, restaurando o cabelo no couro cabeludo, o que melhora visivelmente a aparência.

O transplante deve ser realizado por um médico especializado, em ambiente hospitalar, sob anestesia local e sedação. Inicialmente, é feita a demarcação das áreas doadora e receptora. Inicia-se então a retirada das unidades foliculares, que são implantadas, uma a uma, na região acometida pela calvície, por meio de microfuros. O processo deixa cicatrizes imperceptíveis e é finalizado com um curativo.

Pode haver um desconforto leve a moderado nas áreas tratadas, mas que pode ser facilmente controlado por medicação. As suturas na área de doação são removidas em aproximadamente duas semanas. É permitido lavar o cabelo somente após 24 horas. O retorno às atividades habituais é variável e deverá ser orientado pelo cirurgião plástico. Embora o transplante capilar apresente resultados permanentes, o crescimento significativo do cabelo ocorre somente após alguns meses da cirurgia.

O número de sessões dependerá da área do couro cabeludo a ser tratada, do número e tamanho de enxertos necessários e das características individuais do paciente, como por exemplo: o cabelo mais grosso vai produzir um efeito de maior densidade e preenchimento da área receptora do que os cabelos finos. Atualmente a tendência é a realização de uma ou duas sessões nas quais procura-se implantar todos as unidades foliculares necessárias para o preenchimento total da área receptora.

________
Referências: SBCP, Plastic Surgery Grabb and Smith e Cirurgia Plástica fundamentos e Arte, Mélega
Colaboração: Dra. Daniela Velozo – médica dermatologista