dermatoscopia

Dermoabrasão

Consiste no lixamento da pele para correção de alterações da sua superfície, como cicatrizes ou asperezas. Pode ser feito manualmente com lixas d’água ou com uso de aparelhos dermoabrasores (pequenas lixadeiras de alta rotação, semelhantes a um esmeril). O tratamento suaviza as irregularidades da superfície, dando à pele uma aparência mais suave. Há necessidade de anestesia prévia e pode ser realizado no consultório ou ambiente hospitalar, de acordo com as necessidades de cada paciente.

A dermoabrasão é mais frequentemente utilizada para melhorar a aparência da pele da face com cicatrizes de acidentes ou de cirurgias prévias, bem como para suavizar rugas faciais superficiais, tais como aquelas ao redor da boca. O procedimento também pode ser usado para o tratamento das cicatrizes profundas de acne e de estrias. A dermoabrasão pode ser realizada em pequenas áreas da pele ou sobre toda a face, podendo ser feita isoladamente ou em conjunto com outros procedimentos tais como facelift ou peeling químico.

Após o procedimento, há vermelhidão e inchaço da pele, com formação de crostas nas áreas abrasadas e vizinhas. Essa vermelhidão é normal e esperada e pode persistir por algumas semanas após o procedimento. O colágeno continua a sofrer remodelamento até 6 meses após procedimento e é isso que dará uma melhora global na textura da pele. Esse colágeno é que será o responsável pelo preenchimento de rugas e cicatrizes, porém pode ser necessária a realização de novas sessões para se alcançar melhores resultados.

________
Referências: SBD, SBCD, Tratado de Dermatologia de Fitzpatrick e Manual de Dermatologia Clínica de Sampaio e Rivitti
Colaboração: Dra. Daniela Velozo – médica dermatologista