hirsutismo2

Hirsutismo

O Hirsutismo é o aumento da quantidade de pelos na mulher em locais usuais no homem, como queixo, buço, abdome inferior, ao redor de mamilos, entre os seios, glúteos e parte interna das coxas. Embora seja uma doença rara, costuma afetar as mulheres durante os anos férteis e após a menopausa. Geralmente está associado à irregularidade menstrual, alterações hormonais, infertilidade e acne. Muitos casos não têm causa definida.

Hirsutismo

Hirsutismo

Um dos primeiros passos do tratamento é realizar uma investigação hormonal. A partir daí, o médico irá planejar todos os passos do tratamento, que passa inicialmente pela definição da causa primária.

Na maior parte das vezes, o tratamento tópico (local) é realizado pelo bloqueio da ação dos hormônios masculinos nos pelos, o que causa uma redução na sua velocidade e crescimento. Por sua vez o tratamento sistêmico é realizado usando-se medicamentos de uso oral – são denominados antiandrogênicos. Os resultados começam a aparecer entre três e seis meses.

Paralelamente aos medicamentos tópicos, pode ser preciso que o paciente faça a remoção física dos pelos. Entre os métodos, temos a raspagem; a depilação com cera ou cremes depilatórios; a utilização de pinças; eletrólise e depilação com laser, estas duas últimas técnicas mais duradouras para suprimir o surgimento de pelos. A escolha do método pode ser discutida com o dermatologista. Abaixo seguem alguns pontos importantes a considerar na escolha:

• Encravamento: alguns métodos podem levar a maior encravamento e inflamação dos pelos – a chamada foliculite. Nestes casos podem ser tentados tratamentos locais indicados pelos dermatologistas que auxiliem na prevenção da foliculite por depilação.

• Os cremes depilatórios podem gerar irritação e até queimaduras se usados incorretamente ou em desacordo com as estritas indicações e modo de usar do fabricante. Leia sempre a bula ou instruções do creme adquirido.

• A eletrólise pode também causar foliculite e aumento de pigmento pela inflamação que gera, além de consumir muito tempo, embora seja muito boa para os pelos brancos não suscetíveis aos lasers.

• Os lasers são uma opção mais rápida e eficaz para a remoção dos pelos. Há diversos aparelhos com princípios técnicos muito diferentes em uso para este fim. A escolha do melhor aparelho a ser usado em cada caso, a eficácia e os possíveis efeitos colaterais (manchas, queimaduras, ausências de resultados, aumento paradoxal dos pelos) devem ser discutidos com o médico que irá aplicar o método para que todas as dúvidas sejam sanadas antes de iniciar um tratamento. É importante salientar que os pelos brancos, loiros ou muito finos não respondem a esse tipo de tratamento.

 

________
Referências: SBD, SBCD, Tratado de Dermatologia de Fitzpatrick e Manual de Dermatologia Clínica de Sampaio e Rivitti
Colaboração: Dra. Daniela Velozo – médica dermatologista